Um naufrágio em 1841

No dia 24 de Abril de 1841 ocorreu uma tragédia na enseada da Praia que vitimou cinco pescadores.
O relato do padre é digno de uma leitura atenta, tal a forma como descreve o ocorrido.

«Aos vinte e sete dias do mez de Abril de mil oito centos, e quarenta e hum annos, tendo entrado ao mar para deitarem a rede, voltando-se o barco a pouca distancia desta Praia morrerão afogados os seguintes = António da Silva Pimpam, viuvo de Rosa de Jesus, de idade de trinta e oito annos = Manuel, adolescente, de idade de 17 p.ª 18 annos, filho de José Caria e Maria Vasca da Encarnação = Domingos adolescente, de idade, de 18 annos, q[ue] havia completar p.ª o seg[uinte] outubro, filho de José Bulhoens, já defunto, e de Maria do Domingos = Paulo, solteiro, de fora, creado de Joaquim Mar[ques] Mafra, disse que era natural de Villa do Conde, cujos corpos, não tem aparecido atte ao fazer deste assento, António dos Santos Bizarro, marido de Maria de jesus, natural de Ilhavo, cujo corpo, de todos os sinco, foi o unico, q[ue] apareceu na Praia embrulhado nas cordas, e rede, segundo me constou e foi sepultado no dia vinte e oito no cemitério: de que tudo fiz este assento, que assignei.»*

*PT-ADLRA-PRQ-PNZR02-003-0010_m0074_derivada (acedido em 16/08/2017)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *