Ou o que resta do Casal da Barca

Quando viramos à direita, logo após passar a Ponte da Barca para o caminho que nos leva a terrenos de São Gião, encontramos umas “celebradas” ruínas que fazem, ainda, parte do antigo Casal da Barca.

Existem muitas referências na documentação a esse local. Por ora deixamos esta referência num documento de 1721.

*

“Por baixo desta vila [Pederneira] há um Casal que chamam a Barca para a parte do Sul. Este consta de 8 vizinhos e junto ao mesmo correm 3 rios. Um dos quais tem o seu nascimento em Chaqueda [Chiqueda] termo de Aljubarrota, outro nas marinhas de Alpedriz que com as águas que se juntam de várias fontes se faz mais forte em sua corrente. O terceiro tem seu nascimento em Agoas Bellas [Águas Belas – f. de Valado dos Frades], e todos correm [131v] e se vêm juntar defronte da dia Vila, distância, pouco mais ou menos, de meia légua para a parte do Sul. E aí, com suavidade, entram no mar fazendo uma grave foz e aprazível à vista.”[1]

[1] ADLRA – Pederneira – Noticias Remetidas à Academia Real debaixo da protecção do muito alto, e poderoso Rei Nº Sñr D. João 5º, 1721, [policopiado].

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *