Os livros de Registo Paroquial do Valado: o exemplo de um baptismo

É de relevante interesse a realização de um estudo sobre as origens geográficas dos naturais e habitantes de Valado dos Frades.
As datas extremas existentes no Arquivo Distrital de Leiria nos livros de baptismo, casamento e óbito iniciam-se, respectivamente, em 1782, 1824 e 1791.
Antes dessas datas podemos encontrar registos de baptismos, casamentos e óbitos na Freguesia de Nossa Senhora das Areias, Pederneira.
Ora, este “cenário” levanta, de imediato, a questão sobre a data de edificação da primeira igreja em Valado dos Frades. Isto sem prejuízo da capela existente na Quinta do Campo, ainda referenciada em finais do século XVIII. 
Será que o desaparecimento de uma poderá ter dado origem à edificação de uma outra? Uma questão que necessita de um trabalho de investigação profundo e baseado em documentação credível.
Seja como for, damos hoje nota do 2º baptismo existente no Livro N.º1 do Valado, 1782-1789.
É, também, de levar em conta o mau estado dos livros que, por vezes, não nos permitem a leitura completa dos registos ali constantes.
No entanto, o estudo temporal dos sacramentos de pessoas do Valado realizados na Pederneira e, posteriormente, no Valado poderá ajudar à redacção de um  trabalho de investigação em que a componente social, económica e eclesiástica, poderão assumir-se como um inegável contributo para a historia dessa tão importante vila; Valado dos Frades. 
«Aos dezassete dias do mes de Junho de mil e setecentos e oitenta e oito anos, baptizei solenemente e pus os Santos Óleos a José, filho de Joaquim Rodrigues e de Ignacia de Souza; ele enjeitado do Hospital Real da Cidade de Lisboa e ela baptizada na freguesia de Nossa Senhora das Areias, onde também foram recebidos. Neto materno de José de Sousa e Feliciana de Sousa, já defuntos; ele natural deste lugar do Valado, porém baptizado na dita freguesia de Nossa Senhora das Areias e ela natural do lugar de Famalicão, freguesia de Nossa Senhora da Vitória, porém recebida na dita freguesia de Nossa Senhora das Areias da Vila da Pederneira. Foram Padrinhos, José de [?] Brites deste dito lugar do Valado, [ilegível] aos oito dias do mês de Junho. Para constar fiz este assento que assinei, dia, mês, era ut Supra.»*

*ADLRA – Livro N.º1 do Valado, 1782-1789, [s.n.f.]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *