Novos elementos sobre a Ermida de São José, na Pederneira

Uma das virtudes da investigação é nunca estar completa. 
A descoberta de novos elementos pode contribuir para sustentar, ou alterar, as ilações sobre assuntos  que já foram objecto de análise por parte dos que se dedicam à pesquisa, para o nosso caso, do antigo Concelho da Pederneira.
É nesse âmbito que a recente descoberta de um registo de óbito ocorrido em 1726 vem confirmar a existência de uma Ermida dedicada a São José na Pederneira assim como confirma, também, o nome de uma tal de Clara Maria que ali vivia e que teria sido a última possuidora da ermida.*
A referência a essa senhora aparece nas Visitações no ano de 1738, mas os paroquiais, num registo de óbito, não só confirmam a existência dessa ermida, como nos dão a conhecer mais elementos sobre a família de Clara Maria. 
É esse registo que se transcreve, remetendo os mais interessados para a leitura da obra abaixo indicada, relevando-se que  os dados até aqui obtidos sobre esta ermida não nos permitem fornecer mais indicações sobre este assunto, restando-nos equacionar a existência da capela/ermida de São José desde os inícios do século XVIII e, provavelmente, o seu abandono ou ruína após 1760, ficando por analisar, com maior profundidade, a sua possível ligação à Misericórdia da Pederneira.**
É, também, importante saber se conseguimos ir mais atrás na genealogia desta família e tentar perceber como e quando se iniciou essa ligação à ermida de São José. 
Quanto à sua localização as suspeitas que temos não passam disso, esperando que o que avançámos na publicação indicada possa ser confirmada por algum documento que nos seja desconhecido.
Fica o desafio por todos os que simpaticamente acompanham o Pedra do Porto.
Aqui fica, então, o registo em causa.
Aos dezanove dias do mês de Junho de de mil e sete centos e vinte e seis anos, faleceu um menino por nome João, filho de Francisco Machado  e de Clara Maria naturais e moradores neste Vila. Foi sepultado na Ermida de São José de que fiz este assento […]***
* Não importa replicar a análise que fizemos sobre esta temática. Assim, caso interesse, aconselha-se a leitura desse capítulo na obra em causa:  https://www.academia.edu/37692566/As_Igrejas_da_Pederneira_do_s%C3%A9c._XII_ao_s%C3%A9c._XVII._Uma_an%C3%A1lise (acedido em 24/11/2018) p. 112 – 117.
** op. cit. p. 116-117
*** ADLRA – Livro de Óbitos – Freguesia da Pederneira, 1726, f.72v

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *