Chalet ou Chalé Salvadora, na Pederneira

Chalet Salvadora, Vila da Pederneira, BPI de Papel, Tip. Paulino Guedes & Saraiva, Lisboa, 1904, O Occidente, n.º 997, p. 196.

Não é novidade para ninguém que a Pederneira tem sido o grande objecto dos meus estudos. Tem sido e continuará a ser.

Nesse âmbito, e no muito que ainda existe por descobrir – assim não se destruam as evidências com a construção de novos edifícios, movimentação de terras, colocação de infraestruturas, reordenamento de espaços públicos, sem o devido acompanhamento arqueológico, previsto na Legislação – a Pederneira, como referi em 2012, “ainda tem muito por descobrir.”

Este é apenas um dos exemplos.

Onde ficava este Chalet?

O que significa a existência de um arco em alvenaria numa suposta entrada de uma propriedade anexa ao mesmo?

De quem seria e qual a sua função, qual a sua origem?

Que edifícios são aqueles que se vislumbram à esquerda e à direita do mesmo chalet?

Extraordinário! Como uma simples imagem pode despoletar tantas questões?

Continuo a achar que a Pederneira é um enigma e que desde a sua entrada, junto à EN, até ao fim do Caminho Real, muito tem para dar a conhecer, em particular a zona do chamado Rossio da Pederneira.

Foi com esse topónimo, neste território, que nasceu a Vila da Nazaré. Esquecer esse facto histórico, e amplamente documentado, é o mesmo que apagar a memória de um povo!