A primeira pessoa natural da Praia (actual Praia da Nazaré)

Apenas como esclarecimento para os leitores que não estejam familiarizados com o limite administrativo do topónimo Nazaré, deve informar-se que o mesmo inclui os núcleos urbanos da Pederneira, Sítio, Praia e Fanhais.
Estes aglomerados urbanos formam a Freguesia da Nazaré que, juntamente com as freguesias de Valado dos Frades e Famalicão, constituem o Concelho da Nazaré.
O topónimo mais antigo é Pederneira, depois o Sítio e o mais recente é a Praia, sendo por isso que se diz: ir à Praia, estou na Praia, venho da Praia…
Este assunto, sendo pacífico do ponto de vista da questão toponímica, encerra em si alguma complexidade, posto que em alguns estudos dados à estampa se refere que a Praia terá sido fundada pelos Ilhavos em meados de setecentos ou que as primeira cabanas terão sido ali edificadas em finais do séc. XVII.
Seja como for, o assunto é bem mais complexo do que aparenta não sendo este o “espaço” para uma qualquer dissertação sobre o mesmo.
Nesse sentido, é de relevante interesse a menção à primeira pessoa que terá nascido na Praia feita por João António Godinho Granada na sua obra “Nazareth: Pederneira, Sítio, Praia – para a história da terra e da gente”*
Refere o Autor que no «fim do século, a Praia já tem famílias inteiras que ali se estabelecem definitivamente e em 1793 nasce a primeira criança natural do lugar; é uma menina, chama-se Maria e é filha de João Carreira e de Maria do Carmo.»**
Posto assim, haveria que verificar se, na realidade, o primeiro registo de batismo de alguém da Praia seria a pessoa que o Dr. João Granada indicou nesse seu trabalho de grande relevância para o estudo das famílias da Nazaré.
Mais uma vez os registos parecem confirmar essa evidência, verificando-se a relação entre a data avançada e o nome da criança, assim como os pais, algo que, naturalmente, o Autor verificou durante a sua importante investigação.
De imediato coloca-se uma questão. Conseguimos ligar esta criança a uma família ainda existente na Nazaré?
Procurámos no ano de 1793 e verifica-se o que se segue:
Nota à parte:
“Praya”
“Maria”
«Aos quatorze de Abril de mil sete centos e noventa e tres nesta Par[oquial] Igr.ª e Colleg[egiada] de S. Maria das Areas desta V.ª da Pedernrª baptizei solemnem[te] e pos os Santos oleos […] a Maria f.ª leg[itima] de João Carreira  e Maria do Carmo n[aturais] elle da Vestiaria e ella daqui, neta paterna de João e Paula Maria, n[atuarais] elle da Batalha e ella da Vestiaria e p.[ela] materna de Pedro Pereira e Vicencia do Espirito S.[anto] n[aturais] daqui. Naceo aos oito dias do sobre[dito].[…]*
Esta Maria, que viria a ser Maria do Carmo Carreira, casou com Manoel de Almeida Figueira Morte. Tiveram, entre outros filhos, Joaquim Figueira Facada que viria a casar com Anna Sant’Ana de Jesus Cavaleira.
José Figueira Facada, que casou com Ana Barqueira Batalha, teve descendência que viria até aos nossos dias. ****
Encontra-se, desta forma, identificada a descendência da primeira pessoa, natural da Praia [da Nazaré], pela interpretação do Dr. João Granada e confirmada numa pesquisa genealógia existente e credível.
*Edição de 1996.
**Id p.35
*** ADLRA – Pederneira, Livro de Batismos, 1793
**** O resto da descendência indica o ramo dos Figueira Batalha cujos descendentes directos, por motivos de privacidade, não colocamos neste post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *